sábado, 13 de janeiro de 2018

Laura





(off) Quem pergunta quer saber


O pequeno Ulisses, meu terceiro netinho, costuma chegar aqui em casa como se fosse o dono e já despachando a Mamãe Ananda, pronta para ir para o trabalho. Quando está mais inspirado, o garoto vem perguntar:
- Você está bem? - mas antes que alguém responda alguma coisa ele dispara: - Eu estou bem também!
E rimos.
Há dois dias, voltando da mercearia com as laranjas para seu suco matinal, meu menino cansou e pediu colo. Esqueci o peso das frutas e tomei-o nos braços e assim desci a ladeira, aproveitando para conversar com ele. Eu deveria ter escolhido outro tipo de assunto, mas inventei de fazer uma pergunta cuja resposta só me fez gargalhar:
- Ulisses, o que você é para o vovô?
Claro que eu esperava que ele dissesse "neto", mas desconfio que ele não conhece essa palavra ainda, de modo que respondeu assim:
- Um pão e um biscoito!
Depois dizem que eu é que sou gaiato...

quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

(off) Vida escolar

A imagem pode conter: 2 pessoas

Em fevereiro, logo após o Carnaval, Ulisses fará sua estreia no ambiente escolar e ninguém pode dizer que nosso menininho não está expectante, embora só fale disso ao ser questionado. Hoje, por exemplo, logo cedo, ao chegar aqui, a bordo dos braços amigos de minha filha Ananda, meu neto, ante a pergunta materna sobre quem iria levá-lo à escola, respondeu com um sonoro "Mamãe!" Mas assim que Ananda saiu, em demanda do trabalho, junto com o Papai Gabriel, foi minha vez de oferecer toda minha colaboração a esse garoto que só nos enche de alegria, tanto quanto Pedro e Laura, que também fazem suas aulas pela manhã e assim esse período do dia será não só tranquilo como muito silencioso aqui em casa. Voltando a Ulisses, enquanto subia as escadas eu dizia a ele que eu também iria levá-lo à escola - e ele ria; afirmei também que a Vovó Bia e a Tia Sal, bem como seu pai o levariam à escola - e ele ria. Por fim, eu garanti que todo mundo iria com ele à escola e meu neto, rindo ainda, perguntou:
- Todo mundo vai levar Ulisses na escola?
Reafirmei e ele, sem desfazer o sorriso, então exclamou:
- Que bom!

sábado, 23 de dezembro de 2017

(off) Beleza uniformizada

A imagem pode conter: 1 pessoa, criança

Ulisses herdou o uniforme infantil do E. C. Vitória que comprei para Pedrinho. Veio a calhar, pois meu terceiro neto precisará de uma "fantasia" quando começar suas "aulas" na escolinha, no próximo ano. Assim, para ver se a roupa cabia efetivamente no menino, Mamãe Ananda fê-lo experimentar o "glorioso manto", fez uma foto e pediu a opinião deste avô coruja, perguntando como se fosse Ulisses:
- Fiquei lindo, Vovô?
Minha resposta não se fez esperar:
- Todo rubro-negro é lindo, principalmente se tem meno de três anos.

sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

(off) Ulisses ao vivo



(off) E agora?



Quando voltamos, Vovó Bia e eu, do passeio à farmácia e ao mercadinho, com Ulisses, ao chegarmos à casa da Tia Sal nosso menininho avistou Lis, a filhinha de uma amiga que tem ficado com minha filha enquanto a mãe vai trabalhar, ficou contentíssimo e lá foi ele fazer companhia festiva à amiguinha. De minha parte, comprometi-me a fazer o suco de laranja de praxe, agora em dose dupla, e fui levar os respectivos copos. Ulisses correu para pegar o dele, mas Lis só se dispôs a tomar a bebida com a interferência de Sal. Tia Sani, a vizinha de minha filha babá, estava ao lado e por isso futuquei meu neto:
- Ulisses, ofereça suco a tia Dani.
A contragosto, o garoto tirou a boca do canudinho e perguntou:
- Quer suco, tia Dani?
A vizinha, brincando, disse que sim e isso desconcertou Ulisses, que em nenhum momento pensou em dividir o conteúdo de seu copo. Depois de ponderar um pouco sobre o problema, ele me saiu com esta indagação, causando gargalhada geral:
- E agora?

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

(off) No céu


Ulisses, meu neto mais novo, tem só dois anos e meio, não fala ainda como "gente grande", apesar do vocabulário bem desenvolvido, mas é dono de umas ideias das mais interessantes. Ontem, para garantir que ele tirasse uma sonequinha após o almoço - a contragosto, o menino dormiu durante mais de duas horas! -, Tia Sal prometeu-lhe levar para brincar na cama elástica que os vizinhos do prédio ao lado haviam armado na área de estacionamento na rua. Eu havia prometido recambiar Ulisses às 15 horas, mas este avô também teve que repor energia pelo sono e só fui à casa de Sal às 16h, para acordar meu garotinho. E não é que as primeiras palavras que ele pronunciou ao despertar foram "Ulisses vai para a cama elástica" - que só entendemos depois de matutar um pouco no dialeto próprio dele. Então pus meu neto no colo e voltei para casa, e reparamos os meninos grandes saltitando no pula-pula, e assim ouço-o comentar:
- Ulisses vai pular no pula-pula. Ulisses vai no céu!