segunda-feira, 18 de setembro de 2017

(off) Fiado só amanhã


Há algum tempo (pouco, na verdade), Laurinha tem se acostumado a fazer os deveres trazidos da escola aqui em casa, aproveitando que fico com ela e Pedrinho - e Ulisses, geralmente - enquanto Mamãe Sal dá banca aos meninos da vizinhança. Nesta tarde, minha neta vem da sala até meu escritório e solicita:
- Vovô, preciso que você pesquise no computador qual homenagem que fazemos em novembro.
Faço o que ela me pede e digito no Google a data de 2 de novembro. A menina colhe o resultado e já vai saindo quando me lembro de que há outra data comemorativa naquele mês e indico o 15 de novembro. Laura lê sobre a proclamação da República, agradece e dispensa esta última sugestão de uma maneira que me faz rir:
- Só uma basta, vou ficar com o dia 2 mesmo, o dia dos fiados!

sábado, 16 de setembro de 2017

(off) Mais gracinhas de Ulisses



Esta foi Tia Sal quem me contou. Estando na casa de minha filha mais velha e na companhia desta e de sua mãe, Ananda, meu netinho foi sabatinado, porque queriam saber se ele se lembrava do nome de seus familiares. Chegou a vez de perguntarem o nome do avô paterno e Ulisses respondeu, com seu jeitinho ainda tatibitate de falar:
- Vovô Tito (Tito sou eu, que ele ainda não consegue pronunciar Chico).
Mas as mulheres não se contentaram e insistiram:
- Não, como é o nome do pai de seu pai?
E ele:
- Vovô Tito!
Por fim, forçaram a barra:
- O nome de seu avô é Gus...
E Ulisses, que já sabe muito bem de seus assuntos, disparou:
- Tito!

(off) Gracinha de Ulisses


Não me move o orgulho, mas percebo o forte apego que meu neto Ulisses tem por este avô e às vezes isso resulta constrangedor. Não raro, o menininho, que agora é nosso vizinho (seus pais se mudaram para um edifício na mesma rua onde nós - Vovó Bia e eu mais Mamãe Sal com Pedro e Laura - moramos), chega aqui já perguntando por mim e sequer cumprimenta a avó. Por conta disso é que ontem demos muita risada do comportamento dele ontem à tarde. Foi assim: ele costuma comer sua merenda vespertina por volta das 15 horas e às vezes dorme a sesta; ontem, já tendo feito a vitamina dos netos mais velhos, prontifiquei-me para buscar Ulisses na casa da Tia Sal, mas ao descer as escadas dei com eles dois, que subiam. Logo, o menino vooou para meus braços e se despediu de sua "babá":
- Tchau, tia Sassal (é assim que ele a chama).
Mas Sal não arredou pé, olhando para ele e rindo, dizendo que meu netinho havia acordado àquela hora. Ulisses não esperou o fim da conversa e tratou de despachar minha filha:
- Vá, tia Sassal!

sábado, 9 de setembro de 2017

(off) Gastança


"Pearl's Peril" é o nome de um joguinho de que gosto muito aqui no Face. Curiosamente, foi Laurinha quem mo apresentou e minha neta costuma dizer que o jogo é dela. É um jogo que permite, ao decifrarmos alguns enigmas e cumprirmos certas provas, obter moedas e cédulas com as quais "compramos" itens valiosos e passagens para as sucessivas fases. Pois bem, até ontem eu tinha mais de 40 cédulas guardadas antes de Laura me pedir permissão para brincar no computador. Num dos momentos em que entrei no escritório, minha neta me avisou:
- Vovô, estou fazendo um mini zoológico aqui.
Olhei e ela estava reunindo quase todos os animais espalhados pela "ilha" num lugar só. Exclamei "legal!" e me retirei. Hoje, porém, ao abrir a página do jogo percebo que só me restavam 11 cédulas! A menina, não contente em redecorar minha "ilha", fez a compra de outros animais. E pagando bem caro!

sábado, 26 de agosto de 2017

(off) Analista de estilo



No dia do aniversário da Vovó Bia, fomos todos jantar em "petit comité" para homenagear a matriarca da família. Pedro e Laura, assim como o pequeno Ulisses, estavam "nos trinques", mas Pedrinho admirou a elegância de Mamãe Sal, que vestia um "tailleur" bem cortado que lhe caiu muito bem. E é claro que meu neto mais velho externou um comentário que nos fez dar uma boa gargalhada. Ele virou-se para a mãe e disse:
- Mamãe, você está muito bonita com essa roupa, parece uma secretária!
Essa observação já bastaria para nossa alegria, especialmente a de Sal, mas o menino voltou à carga:
- Você deve ir assim a suas entrevistas de emprego.

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

(off) Lições de Pedrinho



Meu neto Pedro - agora, com Ulisses na família, já não posso usar o nome do primeirão num aposto - é um menino antenado com as questões do momento e por duas vezes pudemos atestar esse fato nesta semana. Começou quando o Tio Caio veio aqui, na segunda-feira, e deteve-se a brincar com o sobrinho quando este veio tomar sua vitamina vespertina, junto com Laurinha. Então Caio abraçou-o e começou a dizer o quanto gostava dele, recordando o sentimento geral na ocasião em que Pedro veio ao mundo, por ter sido muito aguardado. Foi então que meu garoto desabafou:
- Mas depois veio Laura e tomou o protagonismo!...

***

A segunda lição aconteceu dois dias depois da visita de Caio, quando Mamãe Sal contou a seus filhos que os levaria para visitar a Campus Party, a grande feira de informática realizada pela primeira vez em Salvador. Talvez Sal pensasse que a proverbial distração de Pedro ainda estivesse "valendo" e por isso perguntou:
- Você vai gostar de conhecer uma coisa que só fala de informática:
Para sua surpresa e graça, que repartiu conosco, Pedrinho, às vésperas de completar seu nono aniversário, saiu-se com esta:
- Claro, Mamãe! Qualquer menino de minha idade gosta de informática!

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

(off) Balé aleatório



Laurinha voltou injuriada de sua última aula de balé, na escola, segundo o Dindo Caio contou a este avô. A menina desceu do carro chorosa, com cara de poucos amigos e foi assim que meu filho a encontrou, ao chegar na casa de Sal, onde almoçou, na companhia da irmã e das crianças - Ulisses já havia partido para Stella Maris com a Vovó Lea. Mas Caio quis saber o que chateava sua afilhada e Laura desabafou, reclamando de uma coleguinha do balé, onde ensaiam uma apresentação:
- Ela já era a Fada Madrinha e agora quer ser também a Cinderela!
Caio, que tem no currículo alguma experiência cênica, tentou apaziguar a raiva naquele coraçãozinho confrangido dizendo-lhe que no teatro era assim mesmo, que a coleguinha ficaria marcada só pela personagem escolhida enquanto Laura poderia ter vários papéis à disposição, no futuro. Minha neta pareceu acalmar-se e então seu Dindo lhe perguntou:
- Qual foi o papel que lhe deram?
E Caio riu quando Laurinha respondeu:
- Uma personagem aleatória que faz "assim" e aponta o dedo para ninguém!