quinta-feira, 27 de novembro de 2014

(off) Profecia

Quando dou banho em Pedrinho, ele gosta de puxar assunto e por vezes temos conversas as mais ... possível. No início desta tarde, por exemplo, meu neto, certamente recordando o que talvez tenha ouvido num de seus programas favoritos da TV, observou, enquanto eu o ensaboava, que algo ali no banheiro era pré-histórico. Então passou a relacionar coisas que via como pré-históricas até a atualidade e eu dei corda a ele:
- E o mar, Pepeu, é pré-histórico também?
Mas Pedro desconversou e mudou de tempo, voltando seu pensamento para o futurro. Aproveitei e perguntei-lhe como será o futuro e o menino não regateou, fornecendo-me uma informação quase profética:
- No futuro tudo será cromado!


(off) Esse Pedrinho!...

Ontem à tarde, consenti em descer um pouco para brincar com os meninos lá embaixo, apoiando a iniciativa da Vovó Bia em retirar Pedro e Laura da frente do televisor. Então brincamos de correr um atrás do outro, de pega-pega, até que Samuquinha chegou trazendo uma bola e por isso a brincadeira teve outra conotação, excluindo Laurinha. Mas pude perceber nesse momento o quanto meu neto não tem qualquer intimidade com a pelota e o vi desistir dessas tentativas quando João Alexandre uniu-se ao grupo, também chutando a própria bola. Com isso, o jogo passou a ser disputado unicamente pelos uniformizados: João estava fantasiado de sã-paulino e Samuca se disfarçava de craque da Seleção Brasileira. Como logo chegasse a hora de preparar a vitamina dos meninos, tomei o rumo de casa, levando-os comigo. No caminho, Pedrinho se queixava:
- Vovô Chico, eu nunca vou saber jogar bola, eu tenho azar!
Digo a ela que não é questão de azar ou sorte, ams de talento. Pedro concorda:
- É mesmo, eu não tenho talento.
Mas logo sua consciência se ativa e a memória ganha corpo, fazendo-o comentar alegremente:
- Já sei! Eu tenho um talento! Eu tenho o talento de ver televisão!
Esse é o Pepeu!...


(off) Charada

Para deixar a Vovó Bia descansar um pouco, esta tarde, pus Pedro e Laura em frente ao televisor da sala, ligado no programa infantil da TVE apresentado por Bertrand Duarte. O interesse dos meninos não foi o que eu esperava, porquanto a preferência deles são os desenhos animados e não os programas de animação. Mas a certa altura o Teco Teco - nome da atração de Bertrand - apresentou uma charada: "O que todos têm dois, você tem um e eu não tenho nenhum?" A resposta, mostrada em seguida, era a letra "O". Então comentei com Pedrinho:
- Você entendeu, Pepeu?
O menino, no entanto, foi sincero e me fez rir:
- Não entendi nada, mas adorei!




terça-feira, 25 de novembro de 2014

(off) Telepatia


Confesso que fiquei um pouco assustado, esta noite, quando Pedrinho, tentando completar seu dever de casa, praticamente leu meu pensamento. Vou explicar: o menino fazia seu exercício sob a assistência materna de Sal, tendo que desenhar num livro algumas figuras correspondentes às letras ali impressas. Mas meu neto, tanto quanto sua mãe, embatucou na letra Y, sem atinar com que figura ilustrar o espaço reservado, até que Sal me pede ajuda. Então sugiro a Pedro desenhar o símbolo chinês do Yin e Yang. No entanto, na hora em que tento fazê-lo entender o que deveria grafar no papel, o menino me interrompe e declara: "Já entendi!" - e passa a desenhar primeiro o círculo, depois, o S que divide esse círculo e, por fim, os dois círculos menores, um em cada divisão do círculo maior, em posições invertidas. Claro que fiquei impressionado, mas certamente Pedrinho já tinha visto essa imagem em algum lugar...

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

(off) "Na minha"


Ontem, com Mamãe Sal trabalhando até o meio dia, coube à Vovó Bia preparar o almoço dos meninos - Pedro e Laura. Mas como estivesse bastante atarefada com suas costuras artesanais, essa Vovó fez cozinhar rapidamente uma porção de macarrão e uns bifes que depois triturou para servir às crianças. Os respectivos pratos foram preparados pressupondo-se que estivessem com muita fome, mas enquanto Pedrinho se fartava em silêncio com a macarronada, Laurinha implicava com a iguaria, fazendo-me tomar uma providência simples que depois se mostrou inócua: cortei o macarrão em pedacinhos, mas nem assim a menina quis comer. Reclamamos um pouquinho, fizemos alguma chantagem até que Vovó Bia usasse a psicologia, pondo outros filetes de macarrão no prato de Laura que enfim consentiu em comer. Mas antes disso Vovó Bia tentou fazê-la perceber o exemplo do irmão, que devorava o conteúdo de seu prato azul. No entanto, Laurinha se mostrou descolada:
- Ah, Vovó, eu estou na minha, viu?


(off) Dente a menos


Nosso menino, o querido Pedrinho, ficou banguela de novo. Depois de ter perdido dois dentinhos de leite na arcada inferior, os quais já foram devidamente substituídos pelos definitivos, ontem foi a vez de um da arcada superior, logo na frente, abrir uma janelinha na boca de nosso netinho. Mamãe Sal foi a autora da façanha, porque somente a ela Pedro deu o consentimento para a extirpação dentária. Mas este Avô guardou para a posteridade a pérola remanescente. Isso foi no início da tarde. Quando o Papai Alexandre chegou e fez seu almoço, Sal propôs que todos subissem para seu apartamento, a fim de fazerem a sesta. Laurinha quis ser leva no colo pelo pai, mas Sal lembrou:
- Seu irmão é quem mais merece, porque arrancou um dente.
A menina concordou. Mas Pedrinho já se adiantava e subia os degraus da escada quando ouviu as palavras maternas. E eis que ele retorna, correndo, com um sorriso enorme nos lábios, e se atira aos braços do pai, satisfeitíssimo...


segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Casório

Ontem, Laura e eu tivemos a grande alegria de receber novos mimos que tia Dany e seu noivo, Fábio, nos trouxeram, em vista do casamento deles no próximo domingo, no qual nós seremos o pajem (eu!) e a daminha-de-honra (Laura, é claro!). E o que eles trouxeram foram nossas roupas e alguns presentinhos. Eu vou usar calças com suspensórios e camisa com gravata borboleta, enquanto minha irmã vai trajar um vestido de tule e tecido bordado com uma faixa prateada na cintura. Ela vai ficar muito bonita. Laura também ganhou um par de pantufas na forma de uma joaninha. Mas tia Dany me enganou quando disse que a gravatinha borboleta era de super herói e que eu podia tirar fotos com a câmera embutida nela. Mas eu não vi nada e perguntei a ela como era que se tirava foto ali e ela me disse então que era brincadeira... Ah!

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

(off) Gaiatice cabeluda

Laurinha é dona de um humor escrachado - já dá para perceber. Nossa menininha gosta de rir e não raramente costuma fazer piadinhas, geralmente repetindo as que ouve na TV. Em nossas conversas, incluindo também a participação de Pedrinho, as adivinhas têm presença cativa e nesses momentos Laura diverte-se imensamente, fazendo-me rir muito. Esta semana, ela aproveitou o Papai Alexandre como objeto de divertimento ao ouvi-lo dizer que ia sair para cortar o cabelo antes de ir à academia. Laurinha, que conversava comigo no momento, interrompeu suas palavras para comentar a pretensão paterna:
- Papai, você é careca! Como vai cortar o cabelo?
Alexandre riu.


(off) Comportamento

Como toda criança feliz, Pedrinho é também arteiro e por isso algumas vezes a escola envia cá para casa uns bilhetinhos informando o comportamento deficitário de meu netinho. Nessas ocasiões, Mamãe Sal perde seu açúcar e ralha com o menino, que tudo que faz é prometer melhorar e não fazer mais o indevido. Qual! Mas esta manhã tivemos novidades. Dentro do carro que nos levaria ao restaurante onde comemoraríamos mais um natalício seu, Sal revelou que a professora de Pedro elogiou o comportamento de seu aluno. Ficamos felizes, mas este avô gargalhou quando Pedrinho, ouvindo as palavras maternas, desabafou:
- Finalmente!


(off) Troca?

Para comemorarmos o aniversário (mais um!) da Mamãe Sal, fomos todos almoçar num restaurante chique, onde os garçons trajam vistosos aventais. Laurinha observou o fato e achou tudo muito estranho, ao ponto de me questionar:
- Vovô, por que o moço está usando vestido?
Respondo que se trata de um avental mas a menina prossegue em suas observações, reparando que as funcionárias usam calças compridas:
- Por que as meninas daqui se vestem como meninos?
E antes que ela terminasse essa frase, minha netinha assumiu ares de quem fez uma importante descoberta e exclama:
- Está tudo trocado!


(off) Realeza

Menos precoce que o irmão no tocante ao aprendizado das letras, Laurinha só sabe, por enquanto escrever o próprio nome - ainda assim, com letras garrafais. Esta tarde, acompanhada por Mamãe Sal na execução de seu dever de casa, a menina desenhou seu nome com as últimas quatro letras semi deitadas em relação à primeira. Quando Sal a questionou a respeito, minha netinha saiu-se com esta explicação:
- É que o "L" é o rei e as outras se curvam!


(off) Cheiro

Ganhei na terça-feira uma latinha de chá Twinings, presente dos companheiros do grupo de estudos espíritas. Ainda não provei o chá, no sabor misto de camomila, mel e baunilha (depreendo então que seja delicioso). Mas senti o aroma, agradabilíssimo. No momento em que abri a lata, Pedrinho estava ao meu lado e o fiz sentir o olor do conteúdo, perguntando-lhe:
- Não é uma maravilha de cheiro?
O menino, no entanto, jogou um balde de água fria em meu entusiasmo:
- Tem cheiro de massinha de modelar estragada!...


quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Coraçãozinho de martelo

Ontem Mamãe e Vovó Bia foram acompanhar Dinda no exame de ultrassonografia para ver como está o bebê dela, nosso priminho. Quando voltaram, já de noite, Mamãe mostrou a Vovô Chico o vídeo que ela fez com meu tablet. Primeiro, Vovô ouviu as batidas do coraçãozinho de nosso primo, que eu quero que se chame Júpiter. Depois, Mamãe mostrou o tamanho do bebê, tão pequenininho que Vovô apelidou ele de "Limãozinho". Vovô Chico adorou as batidas do coraçãozinho do nenê e disse que pareciam marteladas, de tão fortes que eram...

sábado, 8 de novembro de 2014

(off) Cinema

A convite, qual se VIPs fôssemos, assistimos, ontem à noite, o filme "Made in China", estrelado pela atriz e apresentadora de TV Regina Casé. Para não deixá-los sozinhos em casa, levamos Pedro e Laura conosco - e éramos os pais deles, os avós e a Dinda Nanda. O Dindo Caio também apareceu por lá, mas apenas para presentear com um de seus "miudins" a atriz global, que fez questão, segundo disse, de prestigiar a esteia da fita em terras baianas. Junto com ela vieram também o diretor Estêvão Ciavatta e o ator Xande de Pilares.
Os meninos se divertiram a valer, mas não com o filme. A diversão deles foi antes da projeção - ou exibição, uma vez que os projetores são do tempo em que meus tios, funcionários do extinto Cine Timbira, em Feira de Santana, tinham de trocar os rolos de filme, além da fazerem cortes no acetato, deixando as sobras com os sobrinhos... -, quando Laurinha aproveitou o extenso saguão para correr com o Papai Alexandre e com este avô, além de se enroscar nas pernas da prima Patrícia, minha sobrinha, e Pedro, cansado da correria, entreteve-se com os joguinhos de sua tabuleta.
Dentro do cinema, Laurinha escolheu ficar no meu colo e manifestou sua intenção em dormir tão logo o escuro ocupasse a sala. Mas ela não contava com os discursos, que demoraram, e a toda hora me perguntava quando as luzes se apagariam. No entanto, assim que os depoimentos começaram, os olhos da menina já estavam fechados e ela logo começaria a ressonar tranquilamente, enquanto eu também bocejava...
Quanto a Pedrinho, ele também não resistiu ao peso da hora e igualmente adormeceu no colo da Dinda Nanda, talvez sonhando com o priminho abrigado no ventre dela. Mas rimos bastante com ele quando, ao final do filme, o menino acordou assim que levantamos para descer em direção à saída e Pedro, ainda sonado, comentou:
- Esse filme foi muito curto!


sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Vem logo, priminho!

Como vocês já sabem, Dinda está grávida do primeiro filho dela, significando que vamos ganhar um priminho. Vovô Chico está chamando ele de "Limãozinho", porque já cresceu mais do que uma lentilha. Vovó Bia disse que nós não sentiremos ciúmes dele somente porque observou o comportamento de minha irmã, Laura, em relação a esse fato. É que ontem Laura apontou para uma cadeirinha que nós temos aqui em casa, uma cadeirinha de criança bem pequena que nós usamos para brincar, e disse a Vovó Bia que, quando nosso priminho chegasse, essa cadeira podia ser colocada em cima de uma das cadeiras da mesa para ele almoçar junto conosco! Por essa disposição engraçada de minha irmã é que Vovó acha que nós não sentiremos ciúmes. Mas por que Vovó Bia me incluiu nisso?


quinta-feira, 6 de novembro de 2014

(off) Eu, sim; eu, não!

Aproveitei que tinha lavado as mãos de Laura para cortar as unhas dela. Sentei-a no colo, aboletado no sofá, e iniciei a tarefa. Da posição em que se encontrava, Laurinha via perfeitamente a árvore de Natal que a Vovó Bia, por insistência da menina, já armou, enfeitando-a com criativos acessórios de papel feitos por minha filha Ananda, que está se revelando uma expert em origami. Laura vê um embrulho prateado ao pé dessa árvore e imagina ser um presente; por isso comenta:
- Olhe, Vovô, papai Noel trouxe um presente. É pra mim?
Digo-lhe que não sei, mas informo que esse Noel só dá presente às crianças que se comportam bem. Mas Laurinha nunca se dá por vencida e afirma:
- Eu me comportei direitinho hoje.
No entanto, sou mais incisivo:
- Mas o papai Noel avalia o comportamento do ano inteiro. É o seu caso?
E minha netinha mostra bem que tem miolos e responde:
- Vovô, deixa isso pra lá!


quarta-feira, 5 de novembro de 2014

(off) Cartinha


No fim de semana que passou Laurinha apresentou a este avô a cartinha que fez para o "papai Noel", com a ajuda de tia Carol. O interesse da menina era me fazer de intermediário entre ela e o tal do "bom velhinho", a quem minha netinha pedia uma certa "casa da Chelsea" (depois Mamãe Sal me informaria tratar-se de um acessório muito caro de uma boneca que é a sensação do momento entre as menininhas com mais de três anos de idade). Mas em vez de festejar a iniciativa de Laura eu critiquei, brincando com ela, a grafia da palavra "casa", cuja letra inicial parecia mais um "L" que um "C", e disse a ela que o "papai Noel" não iria entender a escrita. Laurinha não se deu por vencida e insistiu  para que eu lesse "direito". Porém, depois de minha terceira sustentação do "erro", a menina toma a direção do quarto e vai se queixar à Vovó Bia:
- Estou triste!
- Por quê, Laura?
- Minha carta para o Papai Noel está errada e eu nunca vou ganhar a casa da Chelsea!
Quando eu soube do ocorrido, fiquei admirado de que minha netinha preferisse acusar o erro na carta em vez de ressaltar a crítica que eu havia feito...

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

(off) Brincadeiras

Depois do banho, Pedro e Laura foram brincar na sala, enquanto fui consertar a bagunça que os dois fizeram no quarto, espalhando livros e brinquedos e desforrando a cama. Quando passei por eles, em direção à cozinha, munido de uma vassoura com que arrastava os papéis picotados com que decoraram o chão, Pedro dava ordens que Laura cumpria com o maior gosto:
- Vá até aquela cadeira; agora ande até a máquina de costura da Vovó Bia; agora vá até a televisão...
E eu já estava nos fundos da casa quando a última determinação do menino me fez rir sozinho:
- Agora durma, Laura; durma sessenta e dois por cento...


(off) Dinda Ju

Laura ama muito seus padrinhos, até mesmo aqueles que não são os titulares do posto, como é o caso do dindo Gabriel. No fim de semana passado, aproveitando a visita da Dinda Juliana, a menina não desperdiçou a chance de reafirmar seu carinho todo especial por essa madrinha, irmã de tia Carol e integrante dos parentes radicados em Feira de Santana. Já na manhã de domingo, no Centro Espírita onde ela e Pedro costumam tomar passes, essa demonstração de afeto transparecia, porquanto minha netinha pedia pressa às tias médiuns:
- Eu não posso demorar, porque Dinda Ju está me esperando em casa!
Mais tarde, já de volta ao lar, alguém observa esse chamego e pergunta:
- Você gosta muito da Dinda Ju, não é, Laura?
A menina, no entanto, é taxativa:
- Gostar? Eu adoro ela!

(off) Parecer

Esta tarde, com a energia de sua tabuleta descarregada, Pedrinho iniciou um lamento, dizendo-se deprimido por não ter nada a fazer, posto Vovó Bia encontrar-se no quarto "ocupando" a TV. Sensibilizado, chamo-o para meu lado, a fim de mostrar-lhe uma vez mais a mais nova de suas paixões: os vídeos dos comerciais do MacLanche Feliz produzidos pelo mundo a fora. Mas como meu computador tem a velocidade de um carro de boi, enquanto o youtube está abrindo vou fazer outra visita ao facebook, e Pedro chama-me a atenção, dizendo que não entendo o que ele quer. Em resposta, tento dizer a ele de minhas limitações:
- Ah!, garoto, este seu avô...
E ele nem espera que eu termine a frase e ponga em minhas reticências:
- ...Parece que entende mas não entende!


domingo, 2 de novembro de 2014

(off) Maravilha

Uma lady vestida de flor. Foi assim que encontrei Laurinha, esta tarde, quando cheguei em casa e a vi paramentada com o vestido de festa, estilo "princesa", da filha da vizinha. A arte foi da Vovó Bia, que sempre pede a Laura para experimentar suas criações. Assim foi que, ao chegar e elogiar minha netinha, e até mesmo "ensaiar" a valsa que pretendo dançar com ela daqui a dez anos, perguntei à menina:
- Você está bem?
Mas Laura não regateia e, depois de se olhar no vestido vermelho-bonina com um grande laço nas costas, responde, para gáudio da Dinda Ju, que nos visita neste fim de semana:
- Eu estou maravilhosa!