sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Tchau, outubro. Oi, novembro!


Lá se vai meu segundo mês na Terra... e lá vem o terceiro! Na verdade, pela contagem que vale para minha idade, ainda vou completar dois meses, mas falo da sucessão dos dias tal como se observa e registra por aqui. Meu avô diz que isso se chama calendário, que é diferente de aniversário. Um dia vou saber disso com mais proficiência. Ou melhor, vou recordar dessas coisas, pois não é a primeira vez que venho aqui. Segundo meu avô, eu estou reencarnado. Outro dia ele estava todo bobo ao me ver mais coradinho, vermelho mesmo, enfim livre das marcas amareladas da icterícia, que me faziam parecer uma folha de papel manchada pelo tempo, como se fose um livro antigo. E na verdade é assim mesmo, diz meu Vô Chico, falando que só a capa desse livro é outra. O que sei é que eu vim pra cá preencher as páginas ainda em branco desse livro, agora de uma forma mais apurada, tarefa que não é lá muito fácil, mas sei que receberei toda ajuda necessária. Meu avô garantiu que será assim. Vamos ver!

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Saídas


Hoje fui ao shopping. Minha Vó Bia e meus pais quiseram copiar fotografias em papel e lá fomos nós, passear de carro - lembrei na hora de meu Vô Chico, que costuma cantar uma musiquinha com esse tema pra me fazer dormir...
Mas, sabem, não foi a primeira vez que me levaram ao shopping - o templo do consumismo, como disse meu avô na primeira vez, para alegria de meu pai. Mas então não adiantou nada, porque cheguei dormindo e dessa forma saí de lá.
Na primeira vez, a gente tinha ido antes assistir a uma palestra do meu Vô num centro espírita, a Casa de Oração Bezerra de Menezes. Meu Vô disse que cantaria pra mim se eu começasse a chorar, mas eu me comportei muito bem, minha Mamãe até elogiou meu comportamento.
Não sei o que eles pensam, mas essas saídas me fazem um bem enorme, porque me cansam e chego em casa derrotado pelo sono e logo caio nos braços de Morfeu. Morfeu? Meu Vô diz que uma deidade do sono e dos sonhos. Esse Morfeu parece que não é lá muito talentoso comigo porque de madrugada eu acordo e levo um tempão pra dormir de novo. Meu Vô é que deve gostar, pois pulo dos braços de minha Mamãe para os dele assim que termino de mamar. Ei, será que Morfeu também não consegue nada com meu Vô?

terça-feira, 28 de outubro de 2008

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Boas notícias


Ontem, além do passeio cívico, por conta do segundo turno das eleições (dessa vez não acompanhei minha mãe na seção eleitoral dela, fiquei dormindo no colo de meu pai, no carro), fui mais uma vez ao hospital para a reavaliação de meu estado de saúde. Depois de esperar váááááários minutos, minha mãe ouviu do médico que não era preciso fazer outro exame de urina para ter nova idéia da infecção porque eu já não tinha febre alguma. Além do mais, a medicação deve estar fazendo efeito. Agora, nesta semana vamos conhecer o resultado dos exames já feitos para que eu siga crescendo sem sustos ou sobressaltos para minha mãe e minha vó, que é super-hiperpreocupada. Mas eu faço como meu avô e vou cantando pela vida afora... (por falar nisso, meu avô tem um blog chamado Música no Elevador - tem um link aqui, vejam ao lado, na "Caçamba" - no qual ele mescla algumas memórias e letras de música.)

domingo, 26 de outubro de 2008

Lembranças de Feira IX


Aha! Agora minha prima Sheminy aparece de frente e também minha tia Kátia!

Lembranças de Feira VIII


Estes são minha prima Patrícia e o filho dela, Guilherme.

Lembranças de Feira VII


Parte da turma da casa de minha bisavó Margarida. Sheminy ficou de costas.

Lembranças de Feira VI


Esta é minha tia Ana, mãe de minha prima Sheminy, que não quis aparecer na foto.

Lembranças de Feira V

 

Minha tia-bisavó Regina, irmã de minha bisa Margô.
Posted by Picasa

Lembranças de Feira IV

 

Minha tia Mila e meu primo Guilardo ninando meu sono.
Posted by Picasa

Lembranças de Feira III

 

Com minha tia-bisavó Judite e a família em volta.
Posted by Picasa

Lembranças de Feira II

 

Eu nas alturas e Kelly no chão: os amores da Vovó Mara.
Posted by Picasa

Lembranças de Feira

 

A sempre sorridente tia Gal.
Posted by Picasa

Viagem

Fui a Feira de Santana, deixei saudades e trouxe estas lembranças:


Minha bisavó Margarida adorou minha visita;


Minha tia Iracema, grande amiga de minha Mamãe;

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Cadê eu?


Não estou em casa. Viajei. Em companhia de meus pais e minha Vó Bia, fui para Feira de Santana, em minha primeira viagem desde que cheguei a este mundo. Um prêmio, pelo sufoco que passei ontem, no hospital, para que o médico avaliasse a razão de minha febre. Ele diagnosticou uma infecção urinária. Mas já estou tomando o remédio e logo ficarei bom. Meu avô "brigou" comigo porque fiz "farra" e só cheguei em casa de madrugada, às duas e meia da manhã! E ELE NEM PENSOU QUE EU ESTAVA NA COMPANHIA DE DUAS LINDAS MULHERES!! 
Quem vou ver em Feira de Santana? Eu não conheço a cidade, claro, mas me disseram que lá tem muita gente que gostaria de me ver: minha bisavó Margarida, mãe de meu Vô Chico; minha tia-avó Judite, tia de minha Vó Bia; minhas tias-avós Ana, Lícia e Kátia, filhas de minha bisa; minha prima Sheminy; meu primo Guilherme; minha Vó Mara, que mora lá e veio me ver nascer; minhas tias Mila e Gal; meu tio César e meus primos Neto, Guilardo e Lorena... um montão de gente, né?
.
.

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Febre



Gente, hoje tive minha primeira febre. Minha mãe que percebeu. Ela sentiu minha temperatura elevada e me pôs um termômetro debaixo do braço e viu que se tratava de febre. Ainda bem que não era muito alta. Mesmo assim, minha avó, super-hiperpreocupada, tratou de comprar remédio para eu tomar. Na hora eu não quis, não abri minha boca para minha mãe me empurrar aquele líquido vermelho. Mas ela chamou meu avô pra ajudar e ele não contou conversa: espremeu toda a seringa em minha boca. Minha mãe ficou surpresa com minha reação, mas eu gostei daquilo. Era doce. Fiquei lambendo os lábios e querendo mais. Mas sem febre, tá? Vamos combinar!
.
.

O vovô é bom?


Eu provei e posso lhes dizer: o vovô é doce e salgado.
.

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Artes com o Vô Chico



(off)
Pelo menos vamos rir muito com este menino, tais os indícios das artes que ele vai aprontar, em vista do que já apresenta.

Vejam só: hoje, dormindo, a mãe brincava com ele e ele se desmanchava em sorrisos. Pensei: quero também. E tentei arrancar uns sorrisinhos dele. Quem disse? Sério estava, sério ficou em seu sono sagrado. Mas lembrei do que fazia com Ananda em seu tempo de bebê e perguntei, melhor, fiz chantagem: se ama o vovô, dê uma risadinha. Nada. Magoei, reclamando: ah, então não ama!.. E foi aí que ele sorriu, gostosamente. Não merecia uma palmadinha?

Semana passada, tentei cortar as unhas dele, estando acordado, mas sabia que isso só seria possível com ele dormindo, quando ele abre as mãos. Na quinta-feira, quando voltei do trabalho, encontrei-o nos braços de Morfeu e, num tom conciliador, vendo as mãozinhas abertas, propus: deixa o vovô cortar as unhas? E não é que instantaneamente o safadinho escondeu os dedinhos nas mãos fechadas? 

.
.

Dia do poeta


20 de outubro é o dia do poeta - disse meu Vô Chico. Talvez por isso eu tenha recebido um belo presente de meu tio Luiz Augusto, lá de Goiás, que é pai do meu priminho Teo. É um belo poema, esse que vocês vão ler aí embaixo. Será que meu tio sabia desse dia do poeta? Talvez, porque ele é músico e compositor e nessa área se sabe um monte de coisas. Obrigado pelo mimo, tio, e sucesso na carreira aí em Goiânia, viu?


"sou Pedro Silva de vera (verdade)
odeio selva de fera
a natureza me espera
vem ver mãe minha cor

o meu cavalo é de osso
eu lhe beijando o pescoço
ele me leva no dorso
aonde o sol vai se pôr..."

.

domingo, 19 de outubro de 2008

Haikai Pedrístico


O SONO DO NOSSO MENINO
NÃO SOME... SÓ ACORDA
QUANDO TEM FOME
.

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

37 dias... (e contando)

Pedro Lucas Muniz Silva. É este meu nome (leia a história dele no comentário ao lado - "História de meu nome"). Estou por aqui há 37 dias e nesta manhã, enquanto eu me refestelava no colo de meu avô, que eu fui acordar bem cedinho (afinal, alguém precisa trabalhar, né?), minha vó flagrou minha alegria. Pra quem eu estava rindo? Pra minha Dinda, que também acorda cedo para trabalhar. Ela faz um monte de brincadeiras comigo e eu reajo assim, rindo...

(Ah, vá! Clique na foto e veja como eu cresço rápido!)

.

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Quem avisa, amigo é...



"Atenção para essas mãozinhas: em dois anos, elas vão estar fazendo muita arte. Segurem seus bibelôs, fechem as gavetas, tapem as tomadas... que aqui vou eu!! heheheh."


Ass: Pedrinho Pintão
.
.

domingo, 12 de outubro de 2008

Dia das Crianças II




Vejam só! E não é que fui presenteado de novo?
Meu Vô Saulo e minha Vó Luz encheram minha bola.
Em seu dia, toda (ah, quem dera!) criança é uma
ilha cercada de mimos por todos os lados...
.
.

Dia das crianças

Hoje, 12 de outubro, é a data em que se comemora o Dia das Crianças. Os pais - os adultos, vamos dizer logo! - costumam presentear os menores com coisinhas: brinquedinhos, roupinhas... também levam pra passear, se bem que o dia começou com chuva. Mas eu ganhei um presente especial. Meu avô nos levou - meus pais e eu - para tomar passe no centro espírita onde ele trabalha. Fiquei dormindo o tempo todo e nem percebi as gentilezas que os amigos que meu avô encontrou lá me faziam. Mas um dia, quando eu crescer mais um pouco, vou agradecer a eles.
O que é passe? Ah, meu avô explicou que é uma transferência, ou transfusão de energias para melhorar a energia da gente, fortificando a gente. Eu gostei. Foi diferente do dia que nós fomos ao laboratório tirar sangue, quando doeu pra caramba! Tomara que minha mãe e meu pai entendam que tomar passe é muito bom, porque meu avô diz que "nem só de pão vive o homem", mesmo que seja um homenzinho assim que nem eu que por enquanto só toma leite...

.
.

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Do pai pro menino dele


Um mês, pra mim, seria mais um, se não fosse você, meu menino.
Agradeço por você em minhas orações, converso com Deus e digo que, se parasse pra pensar, qual seria o melhor presente que poderia receber? Coisa que fazia quando tinha uns quinze anos a menos nesta data, eu não saberia responder, mas, hoje, é claro que sei. Às vezes sinto-me com uma sensação indescritível, normalmente nós a chamamos de amor, eu digo mais, é um amor paternal e o melhor: só você pode despertar esta sensação em mim, por isso, além de lhe parabenizar, agradeço e não me esqueço de dizer que você realmente é uma fortaleza, uma verdadeira pedra, indestrutível como um diamante, talvez por isso que seu avô e seu tio encontrem tamanha inspiração para escrever coisas maravilhosas para você, já que seu brilho ilumina qualquer mente, meu menino.
Parabéns.

Papai Alexandre.
.

PARABÉNS, GAROTÃO!!


Há dez meses que você nos faz feliz. Sim, eu não descarto os nove meses de espera ansiosa pra sabermos como você seria, como riria e com que ia parecer. É tão pouco tempo juntos, eu sei, mas tão grande é o sentimento. E a gente curte os bicos e caretas, as facetas pedrianas que o teu cotidiano de bebê nos oferece. E, como em prece, eu só peço ao nosso Pai que você seja a mais linda das crianças, com o peito transbordando de alegria e paz... partilhando isso comigo, sua dinda, seus avós e os seus pais. Ah, e quem mais quiser juntar-se ao fabuloso mundinho de Pedro, a pedrinha preciosa que a vida nos deu. Muita saúde, meu garoto. Amém.

[ Titio Caio ]
.

Um mês!!!!


Pronto, gente, o grande dia chegou! É hoje que completo um mês de idade, de vida terrena. Obrigado a todos que torceram por mim e aguardaram este aniversário! Vamos comemorar! Minha mãe e minha vó estão fazendo um bolinho em minha homenagem. Mas nem pensam em me dar um pedacinho... Tem nada não, vou me empanturrar de leite!

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Novo mimo

Quando Pedro veio ao mundo
Encontrou-me preparado
Para o esforço do trabalho
De cuidá-lo e mais amá-lo
O que fiz com mais carinho
Do que me julguei capaz
  
Dei-lhe a mão neste caminho
E não o deixarei jamais

É que Pedro é meu netinho
É meu filho e meu irmão
É meu pai e meu vizinho
O meu traço de união
Com a vida e com Deus...

Nova luz dos olhos meus.

É amanhã!!!!

Amanhã, dia 10 de outubro, eu vou completar um mês vivendo nesta cidade, neste país, neste mundo. Que experiência, viu? Já fiz de um tudo nesta minha curta vida no plano material. E o que fizeram de mim, então? Até sangue meu já tiraram! Três vezes!!! E ainda disseram ao meu avô que isso não dói. E por que eu chorei, hem? Mas também tenho passeado um pouquinho e recebido um monte de visitas. E no domingo, dia 5, fui cumprir, com minha mãe, o tal do dever cívico, nas eleições municipais. Eu não vi em quem minha mãe votou, pois meu avô ficou me segurando enquanto ela apertava uns botões por trás de um pedaço de papelão. Também, eu estava dormindo: como cheguei fui embora, nos braços de minha intrépida mamãe. Segundo meu avô, dever cívico mesmo quem cumpre são os garis que varrem as ruas depois que os tais cabos eleitorais sujam tudo com milhares e milhares de pedacinhos de papel...

Mais um mimo do vovô


Pedra que um dia será planta

Entende que o segredo é germinar

Diante dos milênios se espanta

Refém do eterno sono se agiganta:

Oh fogo, oh terra, oh água, oh ar!

____

*Olha só, gente, meu avô também sabe fazer acrósticos!
.

domingo, 5 de outubro de 2008

Faltam três dias

Daqui a três dias (leiam a data acima como 7 de outubro, tá?) eu vou completar um mês vivendo nesta cidade, neste país, neste mundo. Que experiência, viu? Já fiz de um tudo nesta minha curta vida no plano material. E o que fizeram de mim, então? Até sangue meu já tiraram! Três vezes!!! E ainda disseram ao meu avô que isso não dói. E por que eu chorei, hem? Mas também tenho passeado um pouquinho e recebido um monte de visitas. E hoje (domingo, dia 5) fui cumprir, com minha mãe, o tal do dever cívico, nas eleições municipais. Eu não vi em quem minha mãe votou, pois meu avô ficou me segurando enquanto ela apertava uns botões por trás de um pedaço de papelão. Também, eu estava dormindo: como cheguei fui embora, nos braços de minha intrépida mamãe. Segundo meu avô, dever cívico mesmo quem cumpre são os garis que varrem as ruas depois que os tais cabos eleitorais sujam tudo com milhares e milhares de pedacinhos de papel...

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Além de bacana, corajoso!


Vejam bem! Viram? Pois é, são eles que dizem, comprovam e atestam: eu sou esse corajoso todo mesmo! Minha avó Bia e minha mãe não agüentam ver furarem meu bracinho, mas, como sei que é necessário, eu enfrento a barra, afinal, com saúde não se brinca, né mesmo?

quinta-feira, 2 de outubro de 2008


Minha "vó" Dione e eu batemos altos papos nesse encontro. Foi uma tarde legal. Ela prometeu voltar outras vezes. Oba!
Posted by Picasa

Esta é Mariana, vizinha de minha Vó Bia, que veio observar meu sono. Creio que ela gostaria que eu estivesse acordado, para conversarmos um pouco... mas teremos tempo, né?
Posted by Picasa


Minha tia Lioca com minha "babá" Sofia fazem-me uma visita.
Posted by Picasa

Minha mãe é bonita, hem? Parece comigo!
Posted by Picasa