quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Em off III


Mesmo inconscientemente, parece que os pais - e avós! - querem que seus bebês cresçam logo, talvez em razão do trabalho que naturalmente eles dão, na fase inicial de sua vida, o que assoberba algumas mentes inquietas. Estou dando uma de psicólogo por conta do que aconteceu (tomara que tudo fique no passado mesmo) com Pedrinho nestes últimos dois dias. Ontem, pela segunda vez seguida, nosso menino teve que ser levado ao atendimento médico de urgência simplesmente porque Shirley, sua mãe, resolveu continuar dando o remédio receitado pelo pediatra que o medicou em sua primeira ida à emergência por causa da indisposição estomacal. Pois o medicamento gerou uma reação alérgica. Outra, não bastasse a que o próprio avô tivera não faz muito tempo! Felizmente, não foi nada muito sério e ao ser atendido Pedrinho já estava com a pele limpa, livre da vermelhidão que acometeu principalmente seu rostinho.
Sei que vamos acumular muitos sustos desse tipo até ele completar sua primeira década. Mas sei também que podemos evitar muitas dessas ocorrências desconfortantes sendo mais atenciosos e observadores, percebendo que medicamentos (drogas!) só são aconselháveis quando o organismo não está mesmo bem e necessita reequilibrar-se através do uso de remédios recomendados pelos médicos. Há que se usar o bom-senso, entretanto, para ver que ordens médicas não precisam ser cumpridas à risca quando se vê que tudo está bem. Há que se confiar na intuição, na proteção espiritual, na Providência Divina, enfim, porque "nem só de pão vive o homem".

2 comentários:

Ude disse...

Pedro,
Que bom que vc melhorou rapidinho. As cças são assim msm.... Dão um sustão nos adultos e saram num piscar de olhos. Talvez por serem anjos......
beijo da Ude

Vô Chico disse...

Obrigado, tia Ude, suas visitas são sempre especiais.