sábado, 19 de março de 2011

(off) "Quero jogar!"


Cheguei por trás de Pedro, que já estava na cama, e comecei a rezar o Pai Nosso sussurrando no ouvido dele, depois de ter depositado no berço uma Laurinha adormecida. Ele então se volta, dá aquele sorriso lindo e segura meu rosto com as duas mãos e fala: "Vô, deixa eu jogar, Vô!"

Essa frase ficaria sem sentido se mais cedo, enquanto eu estava sozinho com ele em casa - a mãe e a avó haviam saído com Laurinha para levar a vovó Nadir e a tia Ana Beatriz ao ponto de táxi, para voltarem ao hotel delas -, ele não tivesse protagonizado uma cena das mais interessantes.
Estava eu jogando "Jewel Match 2" no computador quando ele vem lá do quarto, desprezando as atrações do "Ykids", e aboleta-se em meu colo, observando o que se passa no monitor. Logo, tenta tirar minha mão do mouse, sem usar o clássico "é minha vez!", e simplesmente exclama: "Deixa eu jogar, Vô!"
Não deixo, evito que ele tome o mouse e ele não se rende, voltando à carga: "Vô, deixe eu jogar!"
Deixo não, respondo, e ele enfim se conforma: "Que pena!"

4 comentários:

Dona Sra. Urtigão disse...

PUXA! os meus não se conformam assim não, eu no mínimo teria que criar outra atividade que compensasse - e mesmo assim, mais tarde pediriam de novo ... e dariam queixa à mamãe ou papai.

♥ Maceli França ♥ disse...

Ai Chico!!!! Tadinho!!!!

Vô Chico disse...

Mas foi hilário, Celi! Vc precisava ouvir o tom do "que pena" dele. Era conformação sem nenhum desânimo, tanto que mais tarde ele teve e desplante de fazer piada com isso. É meu neto!

♥ Maceli França ♥ disse...

KKKKKK! E como nma semana abençoada! Bjos pra todos vcs daí!