sábado, 22 de outubro de 2011

(off) Sangue (II)


Desta vez, não teve nada a ver com laboratório nem exame. O fato é que, tendo ido passear com a Mamãe Sal, Laurinha e as amiguinhas Mariana e Júlia, com as respectivas mamães, Pedrinho chegou em casa, por volta do meio dia, literalmente "lavado" em sangue. Isto é, com a camisa toda suja de sangue, do sangue que escorria com abundância de uma de suas duas narinas. Lembrei, na hora, do que acontecia comigo, na infância, e não me perturbei, o que talvez não fosse possível numa outra circunstância. Mas a tia Débora, que é enfermeira, ajudou a estancar o sangue utilizando gotas de soro fisiológico, enquanto Mariana soltava um "ai meu Deus!" toda vez que um filete vermelho caía do orifício nasal. Mas o banho quente que a Mamãe Sal preparou para ele surtiu o efeito desejado e assim o sangue de Peu ficou correndo nova e unicamente nas veias dele...

Um comentário:

Vô Chico disse...

A causa foi a mania que ele tem de futucar o nariz com o dedinho, fazendo com que um vaso se rompesse. Nada demais, portanto.